Os efeitos do sorriso

Os efeitos do sorriso

5 years ago 2 1400

As informações ao nosso redor são, em geral, processadas de duas formas: uma mais fluida, intuitiva e com menor esforço de raciocínio, e a outra de forma mais controlada, na qual avaliamos o máximo de prós e contras. Quando estamos de bom humor, favorecemos as avaliações mais fluidas.

O bom humor significa que estamos em um ambiente agradável, satisfeitos com nossos pares e temos uma sensação de bem-estar. Esse conjunto de fatores contribui para o que chamamos de “conforto cognitivo”, dessa forma interpretamos o mundo a nossa volta com maior facilidade, de forma mais intuitiva e com uma sensação positiva.

Ainda que não estejamos atentos, estados de bom humor e afetos positivos favorecem o sorriso, a confiança e a criatividade. O sorriso, como um movimento muscular facial, também realiza uma função de informação: quando sorrimos mais, mandamos mensagens ao nosso cérebro de que estamos bem e que o nosso ambiente está confortável.

Chegamos desta forma a um ciclo, o conforto cognitivo favorece que tenhamos uma percepção agradável de nossas experiências, que por sua vez contribui para que venhamos a sorrir mais e termos mais sensações de bem-estar.

Isso acontece porque movimentos do nosso corpo contribuem para alterações hormonais e estas influenciam nosso humor. Postura ereta e expansiva, queixo elevado e braços mais abertos são alguns dos movimentos indicadores de poder. Na mesma linha de raciocínio, uma postura mais fechada, costas curvadas, cabeça baixa e braços cruzados indicam que a pessoa está vivenciando uma situação de baixo poder.

Fala-se em poder porque esse é um conceito relacionado a sentimentos positivos e de autocontrole. Desde os estudos de Darwin, tem sido constatado pela ciência que o comportamento não verbal, isto é, os movimentos corporais dos animais influenciam os níveis hormonais de testosterona e cortisol do organismo. Esses hormônios se relacionam, por exemplo, com a competitividade e com o stress, respectivamente (Carney, Cuddy, & Yap, 2010)*.

Considerando os efeitos hormonais no comportamento, espera-se que para uma experiência de poder, bem-estar e felicidade, uma pessoa apresente níveis mais elevados de testosterona e mais baixos de cortisol. E o que é mais incrível de tudo isso? Podemos alterar esses níveis hormonais a partir de nossos próprios movimentos corporais. Isso mesmo, podemos aumentar nossas chances de ter um dia mais feliz e positivo quando conhecemos a função de nossos comportamentos e o efeito deles em nosso humor.

O psicólogo pode auxiliá-lo a identificar a função de seus comportamentos e suas consequências no cotidiano. Também pode treiná-lo a ter mais comportamentos que promovam sentimentos de felicidade, bem-estar e assertividade. A sua postura corporal pode ser fundamental para uma entrevista de emprego ou até mesmo para aproveitar mais um momento de distração com os amigos.

 Érika Ramos, psicóloga da equipe INTERAC

 

*Carney, D. R., Cuddy, A. J., & Yap, A. J. (2010). Power posing: Brief nonverbal displays affect neuroendocrine levels and risk tolerance. Psychological Science, 21(10), 1363 – 1368.