Workshop de ACT no Interac

Workshop de ACT no Interac

2 years ago 0 1320

No próximo dia 27 de agosto o Interac promoverá um workshop sobre ACT (Acceptance and Commitment Therapy), ou  Terapia de Aceitação e Compromisso, que faz parte da terceira onda das terapias comportamentais/cognitivas. A ministrante do curso é a profa. Ms. Desirée Cassado, que é referência no trabalho com ACT no Brasil. Público-alvo: psicólogos e alunos de 5º ano de Psicologia. Vagas limitadas. Para se inscrever entrar em contato por email (contato@interac.com.br) ou pelo telefone: 3913-7128.

Palestra sobre compulsão alimentar

2 years ago 0 950

No próximo dia 08 de agosto, teremos a segunda palestra do Ciclo de Palestras Interac 2016. O tema será “Compulsão Alimentar”, a ser abordado pela psicóloga Edilaine dos Santos, da equipe Interac. Interessados devem enviar email para contato@interac.com.br.

Terapia Comportamental Dialética: Curso com Jan Leonardi

2 years ago 0 1643

O Interac oferecerá pioneiramente um curso de 16 horas sobre Terapia Comportamental Dialética (DBT – Dialectical Behavior Therapy) com o prof. Dr. Jan Leonardi, que atualmente é um dos profissionais mais especializados no assunto no contexto brasileiro. O curso é voltado para psicólogos clínicos comportamentais e psiquiatras. Será uma grande oportunidade de atualização para os psicoterapeutas que trabalham com pacientes adultos especialmente. A DBT é a abordagem de escolha para casos difíceis, tais como transtornos alimentares, dependência química e transtorno de personalidade borderline. O curso acontecerá em 30/07 e 13/08, interessados podem entrar em contato pelo email: contato@interac.com.br.

Ciclo de Palestras Interac 2016

2 years ago 0 1080

No próximo mês de junho terá início no Interac o  Ciclo de Palestras para a Comunidade 2016. A primeira palestra acontecerá em 23/06 e será voltada para pais e educadores, abordando o tema “Disciplina” na educação de crianças, com a psicóloga Karen Morais, da equipe Interac. O ingresso é solidário e temos vagas limitadas, por isso é necessário inscrever-se com antecedência pelo email: contato@interac.com.br. Outras palestras acontecerão mensalmente, até o final do ano, acompanhem as publicações com as datas e horários.

O que é memória operacional?

2 years ago 0 1045

A memória operacional, ou memória de trabalho, é responsável por organizar as informações adquiridas e mantê-las acessíveis para utilização em um raciocínio, seja de maneira recente ou não. O bom funcionamento da memória operacional é essencial para manter o foco e a concentração, tão importantes para o aprendizado e outras habilidades fundamentais no trabalho, estudo ou atividades cotidianas.

Como saber se existe um déficit em sua memória operacional?

  • Ao ler um livro, é preciso lembrar do que já leu para entender o que ainda está lendo?
  • É difícil focar em uma tarefa ou algo que não é exatamente do seu interesse?
  • Quando precisa lembrar de instruções como receitas ou caminhos essas informações “desaparecem” enquanto executa a ação?
  • Quando precisa se concentrar, estímulos irrelevantes (como barulho da TV ou de carros na rua) costumam te distrair?
  • Quando aprende um novo conteúdo e você tem que integrar as novas informações ao conhecimento anterior, é um processo complicado?
  • Durante um cálculo é preciso manter todas as partes de um número na memória, esses números “fogem” da sua memória?
  • Durante aulas e palestras em que é preciso anotar pontos importantes do que é falado, você costuma se perder na aula e perde informações importantes?

 

Se suas respostas foram sim para os itens acima, talvez sua memória operacional não esteja com o funcionamento necessário. Para entender mais sobre como a memória operacional afeta nossa vida cotidiana, assista o vídeo abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=EUeb6XtXxkY

 

E como podemos resolver?

Presente em mais de 20 países, o Cogmed agora chega no Brasil.

Desenvolvido por neurocientistas o treinamento possibilita que qualquer pessoa possa treinar e desenvolver sua memória operacional.

Seu método simples e de fácil aplicação, 80% das pessoas que concluíram o treinamento observaram uma melhora importante em sua capacidade de concentração, foco, controle dos impulsos e diminuição do déficit de atenção.

Para saber mais sobre o Cogmed e como ele funciona na prática clique aqui.

Entre em contato conosco, tire suas dúvidas ou agende uma avaliação: Tels. (12) 3913-7128 e 3019-3569. E-mail: contato@interac.com.br.

Como o usuário pode obter os benefícios do Cogmed?

2 years ago 0 856

O programa Cogmed não tem mistério, seu funcionamento possui explicação simples e é baseado em diversas e grandes pesquisas científicas, desenvolvidas por neurocientistas, para proporcionar ao usuário benefícios duradouros e substanciais.

Nível de dificuldade ajustado de maneira pessoal

Para estar sempre em desafio, o nível de dificuldade do treinamento é ajustado com base no desempenho do usuário, em tempo real. Dessa forma o usuário sempre estará treinando com o máximo de sua capacidade, estimulando o desenvolvimento de sua memória operacional (para saber mais sobre memória operacional clique aqui).

O treinamento será calibrado de acordo com o desenvolvimento individual de cada usuário, dessa forma qualquer pessoa será desafiada, tanto uma criança, quanto um jovem adulto prestando um vestibular ou concurso poderão sentir os benefícios.

Design e funcionamento

A capacidade de memória de trabalho do usuário é desafiada através de exercícios cognitivos informatizados. Esses exercícios foram projetados por neurocientistas com o objetivo de atingir esta função cognitiva importante, a memória operacional vem sendo cada vez mais estudada e tem sido provada ser fundamental para a função executiva e para a atenção.

Apoio e acompanhamento pessoal

Para ter efeitos de fato significativos, o treinamento precisa ser executado de maneira correta. Por esse motivo o papel do tutor capacitado é indispensável nesse processo, ele garante que o usuário tenha o perfil adequado para o treinamento, além de orientar, dar suporte, auxiliar na motivação e acompanhar o desenvolvimento do treinamento. É importante também que tutor e usuário avaliem se o momento é favorável para a aplicação do treinamento. Graças aos tutoresCogmed, 90% dos usuários Cogmed completam a sua formação.

A melhora da memória de trabalho se “estende” para o comportamento

Quando você melhora a sua capacidade de memória de trabalho, a mudança se estende para o seu comportamento. Em outras palavras, a mudança é traduzida para outras coisas além somente da memória de trabalho. A descoberta das pesquisas é que através da formação de uma função cognitiva bem definida cria-se um efeito cascata de melhorias. Você será mais capaz de prestar atenção, resistir distrações, se auto-gerir e aprender.

A capacidade da memória de trabalho determina o seu desempenho cognitivo. O treinamento Cogmed melhora a sua memória de trabalho. Sua memória de trabalho reforçada permite um melhor desempenho. O treinamento cria a base cognitiva que você precisa para se preparar para o sucesso.

Entre em contato conosco, tire suas dúvidas ou agende uma avaliação: Tels. (12) 3913-7128 e 3019-3569. E-mail: contato@interac.com.br.

Conheça o Cogmed

2 years ago 0 949

Presente em mais de 20 países, o Cogmed agora chega no Brasil.

Desenvolvido por neurocientistas o treinamento possibilita que qualquer pessoa possa treinar e desenvolver sua memória operacional (para saber mais sobre memória operacional clique aqui).

Seu método simples e de fácil aplicação, 80% das pessoas que concluíram o treinamento observaram uma melhora importante em sua capacidade de concentração, foco, controle dos impulsos e diminuição do déficit de atenção.

Na prática como funciona?

Através de exercícios cognitivos, o treinamento é realizado online, com o apoio e o acompanhamento de um tutor treinado e certificado pelo Cogmed, para garantir a eficácia e o bom andamento do treinamento.

Há 3 versões do Cogmed, indicativo para cada idade: (clique sobre a imagem)

Versões

O grande desenvolvimento notado pelos usuários se deve a intensidade e o nível de dificuldade que é adaptado a cada pessoa, o programa busca manter o usuário sempre em seu melhor nível de rendimento, desafiando a alcançar um desenvolvimento ainda maior de sua memória operacional.

A frequência e o local do treinamento pode ser definida pelo usuário e seu tutor, de acordo com a realidade e a necessidade do usuário, orienta-se que o local seja tranquilo e que favoreça a concentração.

O cronograma pode ser definido das seguintes maneiras:

– 3, 4 ou 5 vezes por semana

– Duração de 25, 35 ou 50 minutos por sessão

Obs: Para concluir o treinamento em 5 semanas, deverá ser realizado em 5 dias por semana, com 50 minutos de sessão.

É necessário que o usuário tenha facilidade de acesso à internet confiável, um computador ou tablet.

 

Quais os principais benefícios do Cogmed? (clique na imagem abaixo)

Benefícios

Quer entender melhor como esses benefícios são possíveis? Clique aqui.

Entre em contato conosco, tire suas dúvidas ou agende uma avaliação: Tels. (12) 3913-7128, 3019-3569, e-mail: contato@interac.com.br.

Entenda o que é ter uma vida feliz

2 years ago 0 1194

“Você pode ter defeitos, ser ansioso, e viver alguma vez irritado, mas não esqueça que a sua vida é a maior empresa do mundo. Só você pode impedir que vá em declínio. Muitos lhe apreciam, lhe admiram e o amam. Gostaria que lembrasse que ser feliz não é ter um céu sem tempestade, uma estrada sem acidentes, trabalho sem cansaço, relações sem decepções. Ser feliz é achar a força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor na discórdia. Ser feliz não é só apreciar o sorriso, mas também refletir sobre a tristeza. Não é só celebrar os sucessos, mas aprender lições dos fracassos. Não é só sentir-se feliz com os aplausos, mas ser feliz no anonimato. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver a vida, apesar de todos os desafios, incompreensões, períodos de crise. Ser feliz não é uma fatalidade do destino, mas uma

Read more

Teste vocacional funciona?

4 years ago 0 2460

Os testes vocacionais se tornaram populares na década de 60 e foram largamente utilizados. Alguns testes indicavam nomes de profissões, o que dava a falsa ilusão que se o jovem fizesse aquela profissão indicada em seu teste teria garantia de sucesso profissional. Alguns jovens ficavam ainda mais angustiados com o resultado, pois não gostavam da profissão indicada no teste e isto os deixava ainda mais confusos.

Em 2002 alguns destes testes foram considerados desfavoráveis por estarem desatualizados e foram proibidos de serem usados pelo CFP (Conselho Federal de Psicologia). Atualmente existem alguns testes psicológicos (personalidade, aptidão e interesses) que são utilizados no processo de orientação profissional (e considerados favoráveis pelo CFP), mas eles sozinhos não são suficientes. Os testes psicológicos devem ser utilizados em conjunto com outras técnicas de orientação profissional e de carreira.

FAZER SOMENTE O “TESTE VOCACIONAL” É SUFICIENTE PARA ESCOLHER A PROFISSÃO?

Para proporcionar um resultado positivo para o jovem, os testes psicológicos devem estar inseridos em um trabalho completo de orientação profissional e serem usados com muito critério e somente por psicólogos.

O que traz resultado e funciona é o processo de orientação profissional e de carreira onde o jovem passa por todas as etapas do desenvolvimento profissional através de metodologia específica e consegue por si mesmo fazer uma escolha profissional mais consciente e segura.

Pode-se comparar as promessas de escolha da profissão SOMENTE com testes àquelas de “emagreça dormindo”. Atraentes, mas, improváveis!

 

“TESTE VOCACIONAL” DE INTERNET FUNCIONA?

Uma avaliação comportamental de qualquer natureza só é válida se houver uma devolutiva de um profissional especializado. É através da devolutiva que o cliente entenderá o propósito daquela avaliação. Isto vale também para outros instrumentos oferecidos pela internet.

Não existe milagre, quem quer escolher bem a profissão precisa comprometer-se com o processo, isto é, procurar autoconhecimento, pesquisar, conversar com pessoas e se não conseguir sozinho procurar ajuda profissional.

Claudia Carraro – Psicóloga da equipe INTERAC